Olympia Tennis Club

Ultima atualização em 25/07/2019

Crédito: Marina Costa

spotify / facebook / instagram / bandcamp

Olympia Tennis Club é um power trio de Juiz de Fora, interior de Minas Gerais. O projeto começou em 2017 com encontros recreativos de amigas que estavam apenas aprendendo a tocar e, mesmo sem muito treino, acabou virando uma banda. O nome e a sonoridade são inspirados pelas reverberações do pop underground que tem sido produzido na cidade de Olympia e arredores desde os anos 80. Kill Rock Stars, K Recs, Breeders e Beat Happening têm influenciado as garotas de Jufas durante o processo de composição de suas primeiras canções.

Lançado em janeiro de 2019 pela conterrânea Pug Records, o registro de estreia tem três faixas com execução fiel à performance de uma banda iniciante: a afobada Thick Lipped Grrrl, a baladinha Greg Oblivian e uma versão para Train From Kansas City, das Shangri-Las.

O novo single My Friend Has a Boyfriend and I Hate That Jerk foi gravado ao vivo em abril, durante o caótico ensaio em que o trio tocou a canção pela primeira vez. O áudio capturado por um celular Nokia Lanterninha® virou hit nos grupos de whatsapp, despertando o interesse dos executivos da Pug Recs, que, com o intuito de lucrar alguns centavos nas plataformas de streaming, enviou o arquivo para masterização em São Gonçalo e agendou o lançamento para o dia 05 de junho.

Inicialmente inspirada por uma sequência de acorde do Halo Benders, My Friend Has a Boyfriend… remete às tosqueiras do Frumpies e aos momentos mais anárquicos do Bikini Kill. Devido à precariedade da gravação, o som da guitarra praticamente desapareceu – um incidente técnico que reforça a conexão do trio com Kleenex, ESG, Oh-Ok e outras bandas femininas que nos anos 80 questionaram o protagonismo do instrumento.

Olympia Tennis Club é Eliza Möller (guitarra e voz), Camila Soares (baixo) e Carime Elmor (bateria). Elas fizeram apenas meia dúzia de shows até agora, com destaque para as vezes em que tocaram ao lado de Cigarettes, Trash No Star, Alles Club, Oruã e Polara. O primeiro álbum da Olympia está previsto para o final de 2019.


Comeherefloyd.com:“They have no fear. They’ve come too far. (…) Slacked and slicked, the power trio thinks the world is made up of despicable sentiments and a whole lot of fuzz. Sophistication isn’t in Olympia Tennis Club’s musical vocabulary yet. But it sure does have the attitude and gumption that they need to make a mark in this holy scene. (…) The band is on their way of making something. Whatever it may be.”

Floga-se: “O trio é tudo o que você precisa ouvir quando alguém pede uma indicação de nova ‘banda subterrânea’. O primeiro single é esse malicioso Thick Lipped Grrrl, um petardo desconexo, desafinado e espetaculoso com três faixas (…) Inviável não se acalorar com o desleixo dessas moças soando no fundo da garagem como um ensaio despretensioso naqueles dias em que não há nada melhor a fazer. Mais punk e jovem e foda-se que isso soa forçado e se tem uma coisa que essas moças não soam é forçadas. (…) Pegue seu instrumento e toque também. A música jovem precisa de experimentos imprecisos como esse: sem pretensões, só divertimento.”

Recomendado para fãs de: PENS, Finally Punk, Bikini Kill, Frumpies, Breeders, Headcoatees, The Amps, Kleenex, Oh-Ok, Beat Happening, The Go Team, Neo Boys, that dog, Shaggs, Hinds, Vivian Girls, Dear Nora e Moe Tucker.



Texto por Eduardo Bento. O autor é o único responsável pelo conteúdo. Qualquer reprodução/adaptação deve citar o DATABASE.FM como fonte. Assim como a maioria das páginas do site, a biografia da Olympia Tennis Club está sempre em construção. Primeira postagem em 17 de janeiro de 2019.